sexta-feira, 29 de novembro de 2013

   Então olhei pro lado e me senti sozinha, mesmo com tanta gente ao meu redor. Pessoas falavam comigo e sorriam. Ninguém conseguia ver que eu estava caindo, afundando. O grito ficou abafado aqui dentro, sem chances de dar voz ao que eu sentia naquele momento. Talvez fosse assim que devesse ser. Eu precisava desmoronar sozinha, pois ninguém conseguiria me salvar. Não naquele momento. Meus pés continuam no mesmo lugar, minha expressão continua a mesma, as palavras que saem da minha boca são repetitivas, me sinto deslocada, como se meu lugar não fosse aqui. E eu continuo caindo... Mas tudo bem, eu cairei, por quanto tempo for necessário. Sempre fui paciente. Logo isso acabará, as coisas mudarão e eu estarei longe daqui. 


{Vanessa Cristina Martins}

2 comentários:

  1. Este " longe daqui ", refere-se a quê?

    (Tô achando que encontrei mais uma, Ana)

    ResponderExcluir